Equinor e Petrobras desenvolverão parque eólico offshore no Brasil

115

Written by:

Equinor ASA se une a Petrobrás para desenvolver o parque eólico de Aracatu, um projeto eólico offshore na costa sudeste do Brasil.

O parque eólico de Aracatu, situado a 20 quilômetros da costa brasileira na Bacia de Campos, fornecerá 4 gigawatts (GW) de capacidade eólica offshore. A Equinor e a Petrobras estão atualmente avaliando a viabilidade ambiental do projeto.

Em 2018, a Equinor assinou um memorando de entendimento com a Petrobras para desenvolver o segmento de energia eólica offshore no Brasil. Notavelmente, a Equinor apresentou um pedido para iniciar o processo de licenciamento ambiental do projeto Aracatu há dois anos.

A Equinor apelou para explorações ambientais para seis projetos em quatro estados brasileiros, com 14.370 megawatts atualmente em análise. Aracatu é o maior empreendimento eólico offshore que a Equinor está desenvolvendo no país. Os demais projetos variam entre 2 GW e 2,5 GW.

A Equinor iniciou a licença do Ibama para o projeto Aracatu, compreendendo os parques eólicos offshore Aracatu I e Aracatu II. Espera-se que os parques eólicos gerem energia adequada para satisfazer as necessidades de 2 milhões de residências.

O Brasil possui atualmente 21 GW de capacidade eólica, o que constitui cerca de 10% da geração total de energia do país. O país tem imenso potencial para ser líder global no segmento. O método de geração alinha-se bem com a expertise e capacidade da Petrobras no ambiente marítimo, particularmente em águas profundas e ultraprofundas.

Os parques eólicos offshore são uma das alternativas ecológicas da Petrobras, juntamente com o desenvolvimento e produção de biocombustíveis avançados. A empresa também se concentra no desenvolvimento de biocombustíveis avançados, que incluem combustível de aviação.

: